Hospital Mário Gatti realiza cirurgias inéditas com transmissão ao vivo

O Hospital Municipal Dr. Mário Gatti realizou, na manhã desta sexta-feira, dia 23 de maio, duas cirurgias urológicas inéditas na rede pública de saúde de Campinas – por não serem oferecidas pelo SUS – para tratamento de incontinência urinária, com transmissão ao vivo por meio de videoconferência.

O procedimento, conhecido como sling masculino, consiste no implante de uma faixa de polipropileno que produz compressão da parte inferior da uretra, com a finalidade de evitar as perdas urinárias ou minimizá-las. As intervenções foram feitas em dois pacientes que há pelo menos cinco anos sofriam com perda involuntária de urina. A mesma cirurgia é feita em mulheres há dez anos, sendo que o Mário Gatti realizou pela primeira vez o procedimento pelo SUS, em todo o país.

Segundo o cirurgião urologista Antonio Celso, a técnica tem um custo individual diferente em cada sexo,por conta da complexidade de material exigido: cerca de R$ 1 mil para o sling feminino e R$ 6 mil para o masculino. Para ele, o procedimento se apresenta como alternativa viável e com bons resultados. “O sling é uma técnica com custo beneficio positivo, pois garante alta mais rápida, com melhor qualidade de vida para o paciente”, disse.

Videoconferência

As cirurgias foram conduzidas pelo médico Flavio Trigo Rocha, professor da Divisão de Clínica Urológica da Faculdade de Medicina da USP, e acompanhada em tempo real por meio de transmissão por videoconferência pela equipe da especialidade de urologia do HMMG, composta por dez médicos, além de residentes e convidados.

Essa foi a primeira vez que o HMMG utilizou o equipamento móvel de videoconferências do núcleo de Telemedicina e Telessaúde para esse fim. A transmissão de cirurgias por videoconferência em tempo real permite a multiplicação do acesso de profissionais a técnicas cirúrgicas inovadoras e de grande interesse para a formação de médicos residentes, assistentes e especialistas da área. 

Para o preceptor da Clínica Urológica do Mário Gatti, Fábio Tadeu, a transmissão do procedimento foi “extremamente proveitosa, principalmente para os residentes, que tiveram a oportunidade de conhecer e participar do procedimento, tirando duvidas e se beneficiando de novos conhecimentos”.

A videoconferência, permite que um grande número de profissionais e convidados acompanhem a cirurgia em tempo real, com transmissão de áudio e vídeo de uma sala para a outra em ambos os sentidos, permitindo que os médicos, dialoguem e opinem mesmo estando em espaços físicos distintos. 

Segundo a coordenadora do Nucleo de Telemedicina, Silvana Simão, “ este é um importante passo para a consolidação e expansão das atividades do Núcleo de Telemedicina e Telessaúde, que foi inaugurado em 2013, e que conta com uma programação diferenciada de videoconferências da Rede Universitária de Telemedicina (Rute), da qual o HMMG é membro”.

A Rute é uma iniciativa da Rede Nacional de Ensino e Pesquisa, órgão ligado ao Ministério da Ciência e Tecnologia, que com o apoio financeiro da Finep permitiu a instalação do Núcleo de Telemedicina e sala de videoconferências do HMMG e vem integrando os hospitais universitários e de ensino de todo o Brasil.

A incorporação e o acesso às tecnologias de última geração em informação e comunicação como as que dispomos em nosso núcleo constitui um grande salto para a educação e formação médica e de todos os profissionais de saúde, permitindo o acesso ampliado ao ensino, à disseminação de novas técnicas, à especialização e capacitação continuada, bem como o intercâmbio com outros hospitais e instituições de ensino e pesquisa.

Fonte: Prefeitura de Campinas