Incontinência Urinária Feminina

INCONTINÊNCIA URINÁRIA EM MULHERES

Incontinência urinária é definida como qualquer perda de urina. Embora possa ocorrer em todas as faixas etárias, a ocorrência de incontinência urinária aumenta com o decorrer da idade e é mais frequente no sexo feminino. Em mulheres a Incontinência Urinária pode ser de Urgência, de Esforço, Mista ou mais raramente, Incontinência Urinária Paradoxal (mulheres que não conseguem urinar e perdem urina por transbordamento).

Mulheres geralmente podem perder urina por urgência (forte desejo de urinar levando a pera de urina antes de chegar ao toalete) ou por esforço quando a perda está relacionada a atividades físicas (tosse, espirros, exercício físicos, etc.) e não é precedida de desejo de urinar e neste caso é denominada Incontinência urinária de Esforço (IUE). A perda de urina também pode decorrer de uma associação destes dois fatores e aí é denominada Incontinência urinária Mista.  A IUE corresponde a 49% das causas de incontinência urinária na mulher. Em outros 29% dos casos, além dos sintomas de IUE ocorrem perdas associadas a urgência miccional caracterizando a Incontinência Urinária Mista.

A manutenção da continência feminina depende de diversos fatores que incluem a integridade da musculatura pélvica e a integridade dos ligamento que mantém a bexiga bem posicionada e o canal uretral durante os períodos de esforço bem como da integridade do esfíncter urinário (válvula que segura a urina durante o repouso e esforço). Este fatores podem ser alterados pela presença de gestações mesmo que a paciente tenha apenas partos cesárea e podem levar a uma ruptura destes músculos ocasionando o que se chama comumente de “bexiga caída”. O tratamento da Incontinência Urinária d Urgência será discutido juntamente com o da Bexiga Hiperativa.

TRATAMENTO CIRÚRGICO DA IUE:

As cirurgias para tratamento da IUE visam restaurar a posição da bexiga e da uretra e dos ligamento da região pélvica de forma o correto funcionamento das estruturas desta região durante os esforços. Existem atualmente  numerosas técnicas para o reposicionamento porem a maioria dos médicos preferem aquelas que usam telas sintéticas inseridas por meio de uma pequena incisão vaginal por seu caráter minimamente invasivo (figuras 1 e 2). Estas cirurgias são denominas “slings sintéticos ” e podem ser usadas nos casos de IUE e Incontinência urinária Mista quando existe predomínio das perdas aos esforços.

Ainda não existam drogas capazes de curar pacientes portadores de Incontinência Urinária de Esforço ou Incontinência mista uma vez que a causas destas condições permanecem obscuras ou de difícil abordagem quando na presença de fatores anatômicos. O tratamento fisioterápico pode ser de grande utilidade porém ele funciona enquanto a paciente se mantém fazendo os exercícios.

FIGURA 1: TELA PARA TRATAMENTO DE INCONTINÊNCIA URINÁRIA DE ESFORÇO – (15 X 2 CM)

FIGURA 2: ESTA PEQUENA TELA É IMPLANTADA VIA VAGINAL PARA MELHORAR O SUPORTE DA MUSCULATURA PELVICA FEMININA

Em Breve